Gaeco e Polícia Civil investigam fraudes em três prefeituras da Paraíba

84
Publicidade

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco), com o apoio dos órgãos vinculados à Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social, da Polícia Civil da Paraíba e do Instituto de Polícia Científica, além do Tribunal de Contas do Estado, deflagraram, na manhã desta quarta-feira (26), a “Operação Rastreio”. O objetivo é o cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado.

As investigações, que estão em andamento, apuram a prática de fraudes em licitações, desvios de dinheiro público, corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito das prefeituras de Alhandra, Riachão do Poço e Salgado de São Félix, em torno dos contratos e pagamentos efetuados pelas atuais gestões às empresas supostamente contratadas para serviços de locação de veículos, que não são efetivamente prestados.

Leia Também: Estudante é preso por armazenar conteúdo de abuso sexual infantil durante operação da PF na Paraíba

De acordo com as apurações realizadas até o momento, foram identificadas empresas fantasmas constituídas em nome de interpostas pessoas, além de veículos supostamente locados, mas que pertencem a pessoas com vínculos com os agentes políticos investigados, veículos localizados em outros Estados, veículos que não foram abastecidos pela respectiva Prefeitura (responsável pelo abastecimento) durante o período dos contratos, ou seja, não foram utilizados, mas os valores pela locação foram pagos.

Os mandados judiciais de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas residências dos investigados, como também na sede das empresas e nas Prefeituras de Alhandra, Riachão do Poço e Salgado de São Félix, na Paraíba. A ação contou com a participação de três promotores de Justiça, 33 agentes do Gaeco/MPPB, 60 policiais civis, e auditores do Tribunal de Contas do Estado.

SIGA: @infonewsparaiba

Publicidade