Detran-PB intensifica fiscalização da Lei Seca durante Folia de Rua e Carnaval

365
Foto: Reprodução/Internet
Publicidade

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) está reforçando as atividades da Operação Lei Seca a partir desta quinta-feira (9), quando será iniciado o Projeto Folia de Rua, em João Pessoa. Durante a prévia carnavalesca, 50 agentes e policiais militares atuarão no percurso desenvolvido pelos principais blocos de arrasto da capital, a exemplo das ‘Virgens de Tambaú”.
Segundo o superintendente Isaías Gualberto, as ações da Lei Seca se repetirão nos demais desfiles, a exemplo das Muriçocas do Miramar e Cafuçu, numa operação que contará ainda com o reforço das equipes de todas as forças de segurança do estado e do município, conforme anunciado, na manhã desta quinta-feira, durante o lançamento da Operação Carnaval 2023, na Fundação Casa de José Américo, na orla do Cabo Branco.

“Não só nesta prévia, mas durante o período de carnaval as equipes atuarão nos locais de grande movimentação popular, a exemplo do Litoral Paraibano”, enfatizou o superintendente, ressaltando a parceria com a Polícia Militar da Paraíba, que já atua no combate à alcoolemia junto às equipes da Lei Seca no Estado.

A Operação Carnaval também contará com o reforço dos equipamentos utilizados, com o propósito de oferecer mais segurança aos agentes de trânsito. Para isso, serão disponibilizados coletes balísticos, lombadas móveis, rádios comunicadores e barreira rodoviária antifuga (cama de faquir), com o apoio de viaturas da Lei Seca.

Segundo a direção do Detran-PB, a principal causa de acidentes no período de carnaval é a combinação entre álcool e direção. Por isso, o alvo da Operação Lei Seca é o condutor que apresentar qualquer índice de álcool por litro de ar, durante o teste. Ele será punido com multa no valor de R$ 2.934,70, soma de sete pontos na carteira, recolhimento da CNH e suspensão do direito de dirigir por até 12 meses. O veículo ficará retido até que um condutor capacitado apareça para retirá-lo.

Nos testes com resultado superior a 0,34mg/l, a situação se torna crime de trânsito. A punição nesses casos é detenção de seis meses a três anos, pagamento de multa, recolhimento da habilitação e suspensão do direito de dirigir por até um ano.

Alerta – A Direção do órgão fez um alerta aos condutores sobre a importância dos cuidados no trânsito durante o período carnavalesco, recomendando ações simples como revisar o veículo antes de viajar, não usar o celular enquanto dirige e não ingerir bebida alcoólica quando estiver ao volante. Esses são considerados pontos cruciais que podem determinar o fim da festa para condutores e passageiros.

Publicidade