Cícero Lucena anuncia construção de 12 novas escolas em João Pessoa

216
Publicidade

As crianças acolhidas pelo Centro Municipal de Ensino Infantil (CMEI) Maria Auxiliadora Di Lorenzo, no Planalto da Boa Esperança, terão mais conforto para frequentar a unidade escolar, que receberá ampliação de seis novas salas e modernização de toda estrutura. Na manhã desta segunda-feira (30), o prefeito Cícero Lucena autorizou o início das obras no equipamento e anunciou a construção, do zero, de 12 novas escolas na Capital, entre elas nove CMEIs.

“Começar o dia de trabalho vendo a perspectiva de melhorar e de avançar na educação que nós desejamos para a cidade de João Pessoa. Ouvir mães testemunhando que os filhos no final de semana querem vir para a escola municipal, nós só temos que celebrar e agradecer a Deus por contar com a equipe tão apaixonada e tão dedicada pela educação. Estamos fazendo uma reestruturação física da qualidade das nossas escolas, trazendo tecnologia, tornando nossas escolas mais inclusivas e recebendo todas as crianças da cidade. No dia 13 vou dar ordem de serviço para 12 novas escolas. Então, é trabalho, dedicação e felicidade que está fazendo bem”, afirmou o prefeito.  

A secretária municipal de Educação, América Castro, lembrou que já são três unidades novas unidades de ensino requalificadas na região do Valentina, que inclui o Planalto da Boa Esperança. Ela disse que essa intervenção está incluída nas 75 ordens de serviço assinadas para recuperação e restruturação da Rede, onde 30 já foram entregues, com mais de R$ 120 milhões investidos.

“As nossas unidades de educação infantil estavam muito acabadas, onde se faziam apenas uma mão de tinta. Essa aqui, por exemplo, foi construída em PVC, então, ela tem um desgaste maior. Então, sim, estamos trazendo para aqui a climatização, que não existia antes em unidades de educação infantil, infraestrutura completa, trazendo também todo o aparato tecnológico que facilita o aprendizado”, afirmou a secretária.  

A diretora do CMEI é Penha Oliota, que disse que a unidade tem sete anos de fundação e foi projetada para atender cerca de 180 crianças, mas hoje são 400 acolhidas, dos seis meses até os cinco anos. Outra preocupação é com a estrutura, em PVC, que se desgastou muito ao longo do tempo, demandando uma ação imediata do poder público, que vai chegar por meio do olhar da gestão municipal, projetou a gestora escolar.  

“Essa reforma foi muito esperada, principalmente pela ampliação da unidade, porque a demanda aqui é muito grande. Nós vamos ter a ampliação, a manutenção e melhorar o atendimento, com a questão da climatização e recebendo mais crianças. Nunca tivemos uma reforma de fato, a estrutura já está muito danificada, mas agora teremos todas as melhorias que estão sendo colocadas na Rede Municipal de Ensino”, afirmou.

Intervenções – Construção de novas salas e banheiros, novo reservatório, modernização da fachada e acesso a edificação, climatização, recuperação da coberta, substituição do piso cerâmico por granilite, substituição das portas, instalação de forros em PVC, reforma da rede hidrossanitária, acessibilidade, substituição da instalação elétrica e projeto de combate a incêndio. O investimento é de R$ 1,6 milhão.    

 

Publicidade